Audiência sobre terceirização no TST

Os bancários participam de audiência pública sobre terceirização de mão-de-obra no TST (Tribunal Superior do Trabalho) nos dias 4 e 5 de outubro, em Brasília. O encontro reúne juristas, acadêmicos, representantes de entidades de classe patronais e de empregados. Destaque para a presença dos professores, Márcio Pochmann, Nelson Mannrich, Ricardo Antunes e José Pastore.
A ação pode pôr um fim à terceirização bancária ou pelo menos, alterar o triste cenário de exploração e insegurança em que atuam os trabalhadores. O assunto é o pivô de cerca de 5 mil processos em tramitação no Tribunal.
As audiências públicas foram aprovadas em maio deste ano. Os encontros têm o objetivo de esclarecer a manutenção do critério de atividade-fim da empresa, atualmente adotado pelo TST, para declarar a licitude ou ilicitude da terceirização.
Foram realizados 221 pedidos de inscrição, mas como não é possível habilitar todos, a presidência do TST, responsável pela seleção, reduziu a participação de representantes. Cada um terá 15 minutos para intervenção. A audiência será transmitida ao vivo pela internet por meio do site da TV Justiça.
Fonte: O Bancário
Anúncios

A greve dos bancários repercute bem na imprensa

A força dos bancários durante a greve nacional tem tido grande repercussão em toda a mídia. Seja na televisão, rádio, jornais ou site de notícias. Todos os veículos dão destaque à paralisação da categoria, que, nesta quinta-feira (29/09), atingiu 517 agências da Bahia.
A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) sente a pressão e tenta, de todas as formas, fazer dos trabalhadores culpados. O que os banqueiros não contavam, no entanto, é com a solidariedade da população com o movimento legítimo da categoria.
Apoio este que tem feito a greve crescer em todo o país. Na quinta-feira (29/09), por exemplo, 7.672 agências foram fechadas. Uma prova de que a Fenaban vai ter de sentar para negociar, queira ou não.
Mas, para isso acontecer mais rápido, é fundamental continuar ampliando o movimento em todos os estados. Com a mobilização dos bancários e ainda com a solidariedade da população os bancos ficarão encurralados e terão de retomar o processo negocial.
Fonte: O Bancário

Diário da Greve dos Bancários: quarto dia de greve forte em Itabuna

Ainda sem receber nenhuma proposta dos representantes patronais, os bancários de todo o país permanecem paralisados por tempo indeterminado.

Segundo balanço divulgado pelo movimento grevista, hoje pela manhã, no Brasil inteiro, a greve dos bancários continua crescendo. Nesta sexta-feira (30),  quarto dia de paralisação, os bancários fecharam 7.672 agências e centros administrativos de bancos públicos e privados em 25 estados e no Distrito Federal. O número representa um aumento de 1.424 unidades. Em relação aos dias anteriores, são 3.481 unidades a mais que entraram na greve.

Em Itabuna todas as 14 agências bancárias estão paralisadas e o Sindicato está trabalhando para que as unidades bancárias situadas nas cidades que compõe a base territorial da entidade também fortaleçam a luta da categoria fechando as portas.

Além das agências de Itabuna, as agências do Banco do Brasil de Buerarema, Coaraci, Ibicarai, Itajuípe, Itapé, Itororó estão fechadas. Também cerradas as portas estão as unidades da Caixa Econômica de Ibicarai e Camacan.

Mesmo sem receber nova oferta de reajuste salarial, os bancários consideram o aumento da adesão como  grande avanço. “O aumento da participação está surtindo efeito. Percebemos maior preo­cupação dos bancos em resolver a  si­­tuação”, disse Valter Morais, Diretor da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe.

Segundo Jorge Barbosa, presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna o  movimento grevista continuará na luta e fará o possível para evitar que os bancos adotem medidas que prejudiquem os trabalhadores empenhados em buscar melhorias nos salários, nas cláusulas sociais bem como melhorar a segurança e o atendimento para a população com a contratação de mais bancários para suprir a demanda dos clientes.

Lula recebe seu sexto e mais importante título honoris causa em Paris

Lula Da Silva causing furor at Sciences Po Paris

Bancários de Itabuna chegam ao 4º dia de greve e realizam manifestação

Jorge Barbosa, presidente do Sindicato promete mobilizar bancários na manifestação de hoje em frente ao Bradesco

Os bancários de Itabuna com apoio de sindicalistas vinculados a CTB, realizam hoje às 10:30h, em frente a agência urbana do Bradesco, uma manifestação reivindicando a reabertura da negociações, que foram suspensas pela FENABAN (Federação Nacional do Bancos), desde a última sexta-feira, dia 23. Além disso já foram fechados acordos específicos dos bancários com os representantes do BRB – Banco Regional de Brasília e o Banpará – Banco do Estado do Pará, que superam a ínfima oferta de 8% de reajuste.

“Mais uma vez fica a reflexão como é que dois bancos de alcance regional apresentam propostas superiores aos gigantes Itaú/Unibanco, Banco do Brasil, Bradesco, Santander, Caixa Econômica Federal e HSBC, que juntos no primeiro semestre do corrente ano lucraram mais de R$ 26 bilhões de reais”, salienta Jorge Barbosa, presidente do Sindicato.

SINDICATO DOS BANCÁRIOS DE ITABUNA E REGIÃO

FILIADO À CTB

Diário da Greve dos Bancários em Itabuna: chegamos ao quarto dia de luta

Ontem, quinta-feira, 29/9, a greve dos bancários  completou três dias sem nenhuma sinalização de reunião de negociação para apresentação de proposta digna de acordo pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban). Muito pelo contrário, os banqueiros tentam jogar a população contra o movimento da categoria, quando alardeiam na grande imprensa que a greve dos bancários é descabida e que os sindicatos deflagraram o movimento paredista ainda durante as negociações, o que é uma mentira deslavada.

Ainda ontem, o Sindicato com apoio de bancários de outros bancos e lideranças sindicais da CTB centrou força  nas agências do Bradesco, principalmente na Praça Adami, onde a truculência e o assédio moral tem sido uma prática corriqueira no banco.

O artista multimídia, Jaffet Ornelas, contratado pelo Sindicato, acampou na porta do Bradesco Urbana e fez apresentações musicais, recitou poemas, além de denunciar a famigerada prática do assédio moral praticado pelo banco contra seus funcionários. Por falar nisso, o Sindicato entrou ontem mesmo com solicitação de investigação dessa lamentável prática junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e denunciou o banco à Organização Internacional do Trabalho (OIT) e à imprensa regional, nacional e internacional. O dossiê comprovando o assédio moral praticado pelo Bradesco segue para o Departamento de Relações Sindicais do banco, em Osasco, São Paulo.

Chegamos hoje ao quarto dia da nossa crescente greve. Os números de agências que estão paralisando as atividades só tem crescido em todo país. Aqui em Itabuna todas as 14 agências bancárias continuam paralisadas e o Sindicato está trabalhando para que as unidades bancárias situadas nas cidades que compõe a base territorial da entidade também fortaleçam a luta da categoria fechando as portas.

Além das agências de Itabuna, as agências do Banco do Brasil de Buerarema, Coaraci, Ibicarai, Itajuípe, Itapé, Itororó estão fechadas. Também cerradas as portas estão as unidades da Caixa Econômica de Ibicarai e Camacan.

Jorge Barbosa, presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região

“Estamos realizando atividades de esclarecimento da população e mobilização dos trabalhadores. A luta é para conquistar um emprego decente, com aumento real, valorização do piso, maior distribuição dos lucros, melhores condições de saúde, segurança e trabalho, igualdade de oportunidades e aposentadoria digna, dentre outros itens,” assegura Jorge Barbosa, presidente do Sindicato dos Bancários de Itabuna e Região.

Entradas Mais Antigas Anteriores