“Se o Lupi sair, o PDT deixa o governo”

A afirmação – divulgada no portal Brasil 247 — é do deputado federal Paulo Rubem Santiago, que acabou de deixar a reunião das bancadas (Câmara e Senado) do partido com o ministro Lupi; O parlamentar garante que o correligionário apresentou todas as provas de que suspendeu, há um ano, os convênios suspeitos

Em reunião, nesta terça (8), com as bancadas do PDT do Senado e da Câmara Federal, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, apresentou uma série de documentos que comprovariam que ele suspendeu, já no ano passado, todos os convênios da pasta que estavam sendo apontados como irregulares.
Leia também:

PDT apoia Lupi em nota; Ministério presta esclarecimento

Presente no encontro, o deputado Paulo Rubem Santiago (PDT-PE) adiantou que a legenda divulgará uma nota em apoio incondicional a Lupi. “Quem está no Ministério do Trabalho é o partido, é o PDT. Temos identidade com a gestão. Se o Lupi sair, o PDT deixa o governo e assume uma postura independente”, avisou Paulo Rubem.
Entre os documentos apresentados pelo ministro Carlos Lupi estão recibos de diversas ordens e ofícios que comprovam o encerramento, no ano passado, dos convênios denunciados. “Eles nos mostrou vários documentos, todos datados de 2010, nos quais esses convênios estavam sendo suspensos”, afirma Paulo Rubem, completando: “Há, inclusive, um ofício do próprio ministro ao governador de Sergipe, Marcelo Déda, onde o Lupi anuncia que, por indício de irregularidade, o convênio com uma ONG sergipana não teria continuidade. Tem carimbo reservado e tudo. O número do ofício é 1137, do gabinete do ministério.”
Paulo Rubem conta que Lupi mostrou ainda recibos de passagens áreas, com a data de 29 de junho de 2010, que comprovariam visitas de servidores do Ministério do Trabalho e de policiais federais aos Estados que possuem convênios com indícios de irregularidades. “Isso comprova que as matérias publicadas na revista ‘Veja’ e, depois, pelo jornal ‘O Globo’ não possuem fundamento. O que estava irregular foi apurado pelo próprio ministério, comprovando que não há ligação do ministro Lupi essas denúncias”, atestou Paulo Rubem.
Contudo, o ministro Carlos Lupi também precisa explicar a abertura de uma empresa com o nome dele em Camaçari, na Bahia. A “Carlos Roberto Lupi” foi registrada, em abril deste ano, com o CPF do pedetista, numa casa sem número de uma rua na periferia de Camaçari. Lupi disse desconhecer a existência da empresa. O auxiliar da presidente Dilma garantiu ser vítima de fraude.

Fonte: Brasil 247 com Vermelho – http://www.vermelho.org.br

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: