Quadrilha ataca agência do BB e faz bancários reféns no interior do Ceará

Foto: Silvânia Claudino

A população de Novo Oriente passou, na segunda-feira (30), por momentos de pânico e medo. Assaltantes voltaram a atacar a agência do Banco do Brasil do município cearense localizado a 397 Km de Fortaleza.
Cinco homens, fortemente armados, vestidos com roupas camufladas estilo militar, e encapuzados, invadiram a agência do BB. Por volta de 12h15, eles chegaram em um automóvel Siena grafite, atirando e fazendo reféns populares que estavam nas proximidades da agência, no centro da cidade.
O ataque durou aproximadamente 25 minutos. Dois bandidos ficaram do lado externo da agência, fazendo reféns. Renderam cerca de 14 pessoas, dez na calçada da agência e as demais nas duas esquinas próximas ao local. Enquanto isso, os outros três bandidos atiravam para cima e para os lados, bem como para as portas da agência, que foram quebradas.
Dentro da agência, eles ordenaram que as pessoas que estivessem nas filas deitassem no chão. Muitos clientes estavam na agência, pois era dia de pagamento de aposentados e de movimento no comércio.
Eles pegaram dinheiro de algumas pessoas e da própria agência, cujo valor não foi divulgado pela gerência. Havia, inclusive, um comerciante na fila com um montante de R$ 13 mil, que foi subtraído pelo bando.
Na saída, os ladrões renderam dois funcionários, levados como reféns e, depois, libertados na localidade de Henrique II, a quatro quilômetros da sede do município.
A quadrilha fugiu com destino ao Piauí pela rodovia CE-187. A Polícia chegou logo em seguida, inclusive com reforço do 7º BPM (Crateús), e realiza diligências na região.

Fonte: Diário do Nordeste – Fortaleza

Anúncios

Em Cuba, Dilma condena bloqueio e reafirma parceria

Dilma posa para foto ao lado do presidente de Cuba, Raúl Castro, durante sua primeira visita ao país / Foto: Roberto Stuckert Filho - Presidência da República

Ao visitar Cuba pela primeira vez desde que assumiu o governo brasileiro, a presidente Dilma Rousseff condenou o bloqueio imposto à ilha pelos Estados Unidos há 50 anos. Segundo Dilma, a melhor forma de o Brasil ajudar o país caribenho é furar esse bloqueio e continuar investindo em parcerias que também são estratégicas para o Brasil.

“Eu acredito que a grande contribuição que nós podemos dar aqui, a Cuba, é ajudar a desenvolver todo o processo econômico”, disse. “A melhor forma de o Brasil ajudar Cuba é contribuir para acabar com esse processo, que eu considero que não leva a grande coisa, leva mais à pobreza das populações que sofrem a questão do bloqueio, a questão do embargo, do impedimento do comércio”, disse.
Segundo ela, que chegou a Cuba na segunda (30), a cooperação estratégica com Cuba é favorável aos dois países, pois em áreas como biotecnologia o estado caribenho exibe uma estrutura excepcional e competente, enquanto o Brasil pode aportar uma alta capacidade tecnológica.
Depois de colocar uma oferenda floral no memorial dedicado a José Martí, herói nacional de Cuba, Dilma destacou que seu governo tem o compromisso de contribuir com o povo da ilha, que impulsiona um processo de atualização econômica.

Dilma citou as iniciativas brasileiras em Cuba que ela considera estratégicas, como a política de crédito para compra de alimentos na ilha. Por meio de um crédito rotativo, o Brasil financia para Cuba a compra de produtos alimentícios brasileiros. Essa linha oferece US$ 400 milhões em crédito.
Além disso, o programa federal Mais Alimentos financia a compra de máquinas e equipamentos para a produção de alimentos em Cuba. Nessa modalidade, o crédito oferecido ao país caribenho é de US$ 200 milhões, de acordo com informações da própria presidenta. “É impossível considerar correta a política de bloqueio de alimentos para um povo”, enfatizou.

Para ler matéria completa clique no link abaixo:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=174512&id_secao=1

Empresas com dívidas trabalhistas não poderão participar de licitações

As empresas e pessoas físicas com débitos na Justiça Trabalhista têm até quinta-feira (2) para regularizar a situação a fim de obter a Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas (CNDT). A apresentação do documento é obrigatória para aqueles que pretendem participar de licitações lançadas pelo Poder Público, segundo lei sancionada em julho do ano passado.
O documento também vai ser exigido por prefeituras, estados e governo federal. A medida pode beneficiar mais de 1,5 milhão de trabalhadores com dívidas a receber.
A Lei 12.440/2011 estabeleceu o prazo até 4 de janeiro de 2012 para os devedores quitarem suas dívidas, sob pena de serem incluídos no Banco Nacional de Débitos Trabalhistas. No dia 2 de janeiro, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro João Oreste Dalazen, deu novo prazo de 30 dias para as empresas pré-cadastradas contestarem dados equivocados ou quitarem seus débitos.
A CDNT é emitida gratuitamente no site do TST e de tribunais regionais do trabalho. O interessado deve fazer a busca fornecendo o número de seu CPF ou do CNPJ, e o documento é válido por 180 dias. Segundo o TST, desde o dia 4 de janeiro, já foram emitidas cerca de 590 mil certidões. Até a última sexta-feira (27), o banco de devedores contava com 963,3 mil inscrições relativas a mais de 1,6 milhão de processos trabalhistas. Tanto a inclusão quanto a alteração ou exclusão de dados é resultado de ordem judicial expressa.

De acordo com o Tribunal Superior do Trabalho (TST), casos assim não são raros. Setenta por cento das empresas condenadas em última instância pela Justiça não pagam as dívidas referentes a direitos como Previdência Social, 13º salário e horas extras.
Para o presidente da CTB, Wagner Gomes, a iniciativa do TST vem em boa hora, já que a nova lei deixará sem opção as empresas que costumam ignorar as medidas determinadas pela Justiça do Trabalho. “Infelizmente essa prática ainda é bastante comum em nosso país. Algumas empresas terão que levar algum tipo de prejuízo para finalmente respeitarem os direitos trabalhistas garantidos por nossa Constituição”, afirmou.

Gargalo

A lei que criou a CNDT não é o único instrumento criado para forçar os devedores a pagarem seus débitos na Justiça do Trabalho. Na última segunda-feira (30), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) assinou acordo para a instalação de máquinas de cartão nas salas de audiência da Justiça para que os devedores possam quitar seus débitos assim que houver a condenação ou o acordo, garantindo assim um pagamento mais ágil.
O TST também estuda a possibilidade de a apresentação da CNDT ser uma exigência para a efetivação de transações imobiliárias em cartórios de todo o país. A ideia é impedir que devedores driblem dívidas trabalhistas por meio da venda de imóveis e da transferência de bens para familiares. A proposta está sendo estudada em conjunto com a Corregedoria Nacional de Justiça.
Segundo o CNJ, a execução de decisões da Justiça do Trabalho é o maior gargalo a ser enfrentado no setor. As execuções demoram até dois anos para serem finalizadas, com taxa de 78% de congestionamento.

Com informações da Agência Brasil

Policiais e bombeiros decidem por greve

Policiais militares e bombeiros da Bahia decidiram paralisar as atividades. A greve foi deflagrada durante assembleia, realizada nesta terça-feira (31/01), no Ginásio de Esporte dos Bancários, nos Aflitos. Os profissionais querem melhores condições de trabalho e questões salariais.
Após o encontro, os trabalhadores seguiram em carreata para a Governadoria, no CAB (Centro Administrativo da Bahia). A tentativa é de agendar uma reunião com o secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, para discutir a pauta de reivindicações.
Fonte: O Bancário

Em coluna, Dilma anuncia construção de 4 novas universidades

Até 2014, o governo vai criar quatro novas universidades federais e 47 campus universitários, o que vai facilitar o acesso dos estudantes ao ensino superior, informou a presidente Dilma Rousseff na coluna Conversa com a Presidenta publicada nesta terça (31). Ao estudante de Uberlândia (MG) Sandro Gonçalo Alcondo, ela lembrou que 14 universidades e 120 campus foram criados no governo do ex-presidente Lula.

“Esta expansão permitiu ampliar as vagas de ingresso de 139 mil, em 2007, para 243 mil, agora, em 2012”, disse a presidente, lembrando que, por meio do SISU, o governo também aumentou as chances de ingresso em 95 universidades públicas.
Para viabilizar os estudos em universidades particulares, acrescentou a presidenta, os estudantes contam com o Programa Universidade para Todos (Prouni), que já concedeu mais de um milhão de bolsas de estudo, e o Financiamento Estudantil (Fies), com taxa de juros de 3,4% ao ano.
A presidente Dilma também respondeu à corretora de imóveis Eliane Nunes, de João Pessoa (PB), sobre a Central de Atendimento à Mulher – Ligue 180, que já recebeu 2,3 milhões de denúncias. Desde 2006, quando a Lei Maria da Penha começou a ser aplicada, 332 mil processos foram abertos e 110 mil agressores, sentenciados. Segundo a presidenta, a Lei Maria da Penha é uma das mais eficientes e severas de todo o mundo.
“Esta lei encoraja as denúncias, garante a integridade física das mulheres e está ajudando a promover uma mudança de cultura no relacionamento entre homens e mulheres.”

Leia matéria completa clicando no link abaixo:

http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia=174507&id_secao=1

Lucro de Bradesco em 2011 é o 3º maior da história dos bancos do país

O lucro do Bradesco no ano de 2011 é o terceiro maior da história dos bancos brasileiros, segundo a consultoria Economatica. Com um lucro líquido de R$ 11,028 bilhões (um aumento de 10% em relação a 2010), o Bradesco só ficou atrás dos resultados de Itaú (R$ 11,708 bi) e Banco do Brasil (R$ 11,296 bi), ambos em 2010.

Entre os dez maiores lucros anuais da historia dos bancos brasileiros, quatro são do Bradesco. ItauUnibanco e  Banco do Brasil tem três cada um.

Resultados

O Bradesco apurou lucro líquido de R$ 2,726 bilhões no quarto trimestre do ano passado, uma queda de 8,7% em relação ao mesmo período de 2010 e de 3,2% na comparação com os três meses imediatamente anteriores.

Considerando o lucro líquido ajustado, que exclui eventos extraordinários, o resultado no quarto trimestre foi de R$ 2,771 bilhões, um aumento de 3,2% sobre o mesmo período de 2010.
As receitas com prestação de serviços somaram R$ 4,086 bilhões de outubro a dezembro, um crescimento de 14,5% na comparação com igual intervalo no ano anterior. A margem financeira total do banco cresceu 13,8% no período, para R$ 10,258 bilhões.
A carteira de crédito total do Bradesco encerrou dezembro em R$ 345,724 bilhões, 17,1% maior do que um ano antes. As operações com pessoas físicas totalizaram R$ 108,671 bilhões (alta de 10,6%), enquanto as operações com pessoas jurídicas atingiram R$ 237,053 bilhões (crescimento de 20,4%).
A provisão para devedores duvidosos somou R$ 19,540 bilhões de outubro a dezembro, 20% maior que a de igual período em 2010. A taxa de inadimplência (superior a 90 dias) avançou 0,3 ponto percentual entre o quarto trimestre de 2010 e os últimos três meses de 2011 e chegou a 3,9%
Os depósitos totais do banco chegaram ao fim de 2011 em R$ 217,424 bilhões, alta de 12,5% na comparação com o encerramento de 2010, enquanto os ativos totais da instituição avançaram 19,5% no período, para R$ 761,533 bilhões.
Os recursos captados e administrados pelo banco atingiram R$ 1,020 trilhão, um aumento de 16,9%.
O patrimônio líquido do Bradesco subiu 15,7% entre 2010 e 2011 e fechou o ano passado em R$ 55,582 bilhões. Segundo relatório do banco, o índice de Basileia pelo capital de referência Tier 1 fechou 2011 em 12,4%, 0,07 ponto percentual abaixo do quarto trimestre de 2010.

(Com informações do Valor)

Crise na Europa aumenta número de cães abandonados em abrigos

O período de recessão pelo qual passa a economia europeia também está afetando os bichos. Segundo o jornal “Daily Mail”, a crise fez aumentar o número de cães abandonados em abrigos após as festas de fim de ano.

Tudo porque os filhotes de cachorros que não conseguiram ser vendidos no Natal por causa da crise europeia foram abandonados pelos próprios donos.
Um único abrigo para cães no norte do País de Gales recolheu 16 filhotes nos cinco dias após o Natal, um recorde para a instituição.
“Acho que isso está ligado à recessão. As pessoas pensam que podem vender seus cães por £500 [R$ 1.370] cada um, mas se esquecem de que só vão receber esse valor por cães de raças pura”, disse Nicky Owen, membro da organização North Clwyd, responsável pelo recolhimento dos animais.
Segundo Owen, os animais estão com boa saúde e são divertidos, e ele espera que eles possam ser adotados em breve.
Fonte: http://noticias.uol.com.br

Entradas Mais Antigas Anteriores