Contraf questiona Fenaban sobre investimentos em segurança

A Contraf ficou surpresa com o total das despesas em segurança dos bancos que foi divulgado pela Fenaban em notícia publicada na última sexta-feira (6) pela Agência Brasil. Segundo a matéria, “os investimentos em segurança cresceram de R$ 3 bilhões no início dos anos 2000 para R$ 9,4 bilhões nos últimos anos”.

Clique aqui para ler a notícia da Agência Brasil.

Esse número, no entanto, contrasta com o total apurado no estudo feito pela Subseção do Dieese da Contraf, com base nos balanços publicados de janeiro a setembro de 2011.
Os cinco maiores bancos do país – Banco do Brasil, Itaú Unibanco, Bradesco, Santander e Caixa Econômica Federal -, que lucraram no período R$ 37,9 bilhões, destinaram R$ 1,9 bilhão para despesas com segurança e vigilância. Na comparação com os números de 2010, constata-se uma queda de 5,45% para 5,20% na relação entre o lucro e os gastos com segurança.
Os dados do Dieese também foram informados na mesma reportagem que focou a pesquisa nacional feita pela Contraf e Confederação Nacional dos Vigilantes (CNTV) e que apontou 49 mortes em assaltos envolvendo bancos em 2011, um crescimento de 113% em relação a 2010.

Clique aqui para acessar o estudo do Dieese.

“Na retomada da Mesa Temática de Segurança Bancária, cuja primeira reunião em 2012 ainda não foi marcada, vamos cobrar esclarecimentos da Fenaban sobre essa grande diferença entre os números divulgados”, afirma o secretário de imprensa da Contraf e coordenador do Coletivo Nacional de Segurança Bancária, Ademir Wiederkehr.
“Vamos solicitar transparência sobre os investimentos dos bancos em segurança. Queremos que eles informem quanto investem em vigilância, transportes de valores e equipamentos de prevenção contra assaltos e sequestros, como portas giratórias, câmeras de monitoramento em tempo real, vidros blindados nas fachadas, biombos, divisórias individualizadas entre os caixas e abertura e fechamento de unidades por empresas especializadas em segurança, dentre outros itens”, destaca o dirigente sindical.
Para o diretor da Contraf, “mais do que explicações, os bancários reivindicam mais investimentos em segurança, pois os estabelecimentos não podem continuar vulneráveis, expondo ao risco a vida das pessoas, especialmente clientes e trabalhadores, que acabam sendo vítimas de assaltantes cada vez mais atrevidos, aparelhados e explosivos”.

Fonte: Contraf com Agência Brasil

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: