Trabalhadores do serviço público ratificam unidade da categoria para as lutas de 2012

A CTB participou na última terça-feira (10), em Brasília da primeira grande reunião de 2012 do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais, ocasião em que se ratificou o princípio de que a unidade será fundamental para que a categoria conquiste avanços neste ano.

Mário Garofalo, dirigente nacional da Federação de Sindicatos de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra), representou a CTB na reunião, que contou com a presença de dezenas de entidades de todo o país. “Esse foi sem dúvida um ponto bastante positivo, já que é difícil reunir tantos dirigentes em pleno mês de janeiro”, salientou.

Para Garofalo, as entidades demonstraram também uma grande disposição para organizar campanhas salariais diferentes em 2012, já que, na avaliação delas, o ano passado foi marcado por alguns erros. “Houve acordos muito ruins, e por isso as entidades começaram 2012 com um discurso duro. Se até março não aparecerem sinais de avanço, em abril no reuniremos para já discutir um indicativo de greve”, afirmou, lembrando que o governo federal já anunciou um corte de cerca de R$ 60 bilhões de Orçamento para este ano.

Conjuntura

As entidades avaliaram que o governo está batendo recordes de arrecadação, já que o superávit primário em 2011 superou as expectativas da própria equipe econômica. “O entendimento é de que há dinheiro, que está sendo utilizado de forma equivocada. Os trabalhadores não serão bode expiatório de uma crise que não é dos trabalhadores”, diz o relatório elaborado após a reunião.

Para Fátima dos Reis, secretária de Serviços Públicos e do Trabalhador Público da CTB, a unidade demonstrada pelas entidades logo na primeira reunião do ano será fundamental, já que 2012 tem tudo para ser ainda mais delicado do que 2011. “Além da crise financeira (argumento que o governo utiliza a todo o momento para não aumentar os salários), teremos pela frente um período de eleições municipais, quando o diálogo com o Congresso se torna muito mais difícil”, lembrou.

Eixos da campanha

A reunião definiu também uma série de eixos para a campanha salarial de 2012. São seis pontos aprovados pelos dirigentes. Segue abaixo a lista:

– Contra qualquer reforma que retire direitos dos trabalhadores.
– Política Salarial permanente com reposição inflacionária, valorização do salário base e incorporação das gratificações.
– Retirada dos PLP’s, MP’s, Decretos contrários aos interesses dos servidores públicos (PLP 549/09, PLP 248/98, PLP 92/07, MP 520/10 e demais proposições. Supressão do Artigo 78, da LDO, que define o prazo até 31/08, para encaminhar Projetos de Lei que reestrutura carreira e concede qualquer tipo de reajuste aos trabalhadores. Supressão do artigo que trata da mudança de indenizar a insalubridade/periculosidade no PL 2203/11 e supressão do artigo que trata da redução remuneratória aos médicos que têm sua carga horária regulamentada por lei no PL 2203/11.
– Cumprimento por parte do governo dos acordos e protocolos de intenções firmados.
– Paridade entre ativos, aposentados e pensionistas.
– Definição de data-base (1º de Maio).

Fernando Damasceno – Portal CTB

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: